Linha Amantino

Este delírio onírico, com o olhar sobre a aura do feminino, traduz expressividade artística na sua forma mais pura. Embebido em emoções rebuscadas no retrato da infância, eleva sua interpretação do presente, propondo análises críticas de temáticas pontuais, com valores edificados pelo conservadorismo colonial, ora dramática ora dadaísta, pretendendo ressignificar verdades incontestáveis. Seu formal é desenvolvido em tela de Linho, utilizando do máximo apuro de técnicas manuais de costura, consumando a virtude conceitual do que é dito belo e admirável, promovendo seu trajar à momentos especiais onde o acordo da palavra é conjugado pelo diálogo têxtil esculpido em verbo da narrativa. 

 

Palavras-chave: Arte, sonho, expressão, emoção, retrato, infância, crítica, colonização, drama, dadaísmo, dogma, manual, conceitual, beleza, traje, ocasião, escultura, narrativa.